CARNAVAL DE PRATA

Dedicado a mi querido Cordão de Prata Preta

Como eu fui feliz naquele fevereiro!
Subindo a rua da alegria,
me perdi no beco da preguiça,
desci a ladeira do samba

e te encontrei no largo da saudade.

Foi num cordão da Região Portuária
que eu passei o meu primeiro carnaval.
Chovia chuva e confete
e o chão salpicado de lama,
brilhava entre mil paetês.

Teu bloco me fez Colombina,
batalha de purpurina.
Envolvi teu corpo em serpentina,
minha alma em carnaval.
Toda eu, feita folia,

no teu beijo tropical.

No meio daquela euforia,

em algum lugar da Praça da Harmonia,

você desapareceu.

Voltarei em cada cortejo,

toda cheia de desejo,

para achar você, Pierrot.

É o feitiço do Prata,

berimbau, rabo de arraia.

Uma ginga ancestral,

subindo e descendo ladeiras,

ao compasso das marchinas de carnaval.

error: Content is protected !!